Pesquisar este blog

sexta-feira, 2 de março de 2012

São varios os transtornos para quem trafega pela BR 163

Excesso de chuvas tem causado transtorno para quem viaja na BR 163 nesta época do ano. Devido às fortes chuvas que caem por sobre a região, já começam a se formar pequenos pontos lisos, os quais de uma hora para outra, transformam-se em grandes atoleiros, só pra ter uma idéia,ontem, quando fomos à Comunidade do Aruri, distante 120 KM da sede do Município de Trairão,sentido Novo Progresso, quando passamos pela ponte do tucunaré na ida, no local havia apenas um ponto liso(que nem quiabo), na volta, no mesmo localidade, pudemos registrar o início de um grande atoleiro e uma fila de muitos carros esperando para serem puxados. Isso sem falar nos vários pontos ao longo da rodovia, que também estavam lisos e, em todos, havia ônibus e carretas sendo puxados por tratores, nem caminhonetes traçadas escaparam de puxadas.



Em alguns trechos, como eu disse, já começa a se formar vários pontos críticos, que aos poucos podem virar atoleiros. Mas, ainda não é motivo para desespero, é que quem vem de Novo Progresso, até o Distrito de Caracol, tem máquinas trabalhando para recuperar a trafegabilidade,isso quando se faz sol. Porém, no trecho próximo à Comunidade do Tucunaré, não vi resquício algum de máquinas por lá, devido a CBEMI ter abandonado as obras que já deveriam estar prontas, não se vê uma máquina da referida empresa trabalhando no trecho que compreende dentro do Município de Trairão.

Vale destacar também que, pelo calendário amazônico, as obras de recuperação ou conservação de estradas sem asfalto em nossa região só podem ser realizadas de junho a dezembro.Este, é o período que menos chove na região. De janeiro a maio,as chovas não deixam que o trabalho seja feito e, sem esses trabalhos, as estradas podem transformar-se em grandes atoleiros. O que chama a atenção, além dos atoleiros, são as pontes velhas de madeira, que oferecem grandes riscos aos motoristas, mas, o absurdo dessa história, é que ao lado das pontes velhas de madeira, existem grandes e novas pontes de concreto, esperando somente o aterro para que se possa usá-las.
                                                              





















Fonte; http://portaltrairense.blogspot.com 
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação !

Aquivo deste blog