Pesquisar este blog

quinta-feira, 26 de maio de 2011


Valmir quer contestar avaliação de seu patrimônio


VALMIR quer constestar valores
O empresário e atual prefeito de Itaituba, Valmir Climaco de Aguiar, deve entrar na justiça contestando a avaliação de seus imóveis que irão a praça de leilão na manhã desta quinta feira (26) para pagar a dívida trabalhista no valor de R$ 1.900.000,00 (Um Milhão e Novecentos Mil Reais) para o seu ex funcionário  Ronaldo da Silva Sousa, que se encontra há 12 anos prostrado em uma cadeira de rodas, vítima de um acidente de trabalho ocorrido no dia 29 de setembro de 1999, quando Ronaldo trabalhava na extração de madeira para a Madeireira Climaco Indústria e Comércio Ltda, de propriedade de Valmir.
Quanto a Praça de Leilão que ocorrer já na manhã deste dia 26 (amanhã), os causídicos da Advocacia José Antunes, que representa o condenado, disseram seu cliente tem até cinco dias após o arremate para contesta a avaliação do patrimônio em questão.
José Antunes disse que, de acordo com a avaliação feita por uma empresa especializada no assunto, o valor da sentença é muito inferior ao valor real do patrimônio que vai a praça de leilão. Para o engenheiro Marcos Ronaldo e a empresa Primo Projetos, responsável pela avaliação a pedido dos advogados de Valmir Climaco, na avaliação da justiça não foram considerados o patrimônio existente nos terrenos a serem leiloados, que junto pode somar a quantia de quase 10 milhões de reais.
Pela decisão da Juíza Federal do Trabalho, Doutora Meise Oliveira Vera, a realização da Praça de Leilão às 08h45 deste dia 26 de maio, com o arrematante deverá dar um sinal em espécie, em torno de R$ 380.000,00 (Trezentos e Oitenta Mil Reais) na Justiça do Trabalho situada na Trav Justo Chermont, 126 cidade de Itaituba. E caso de não haver arrematante, dado ao elevado valor, o edital determina o agendamento do próximo dia 16 de junho de 2011 para a realização de novo leilão e, se mesmo assim não houver arrematante nessa data, deverá concorrer para que os imóveis sejam adjudicados pelo reclamante, ou seja, deverão ser repassados como pagamento da dívida.
Mas pelo que se discute em Itaituba, os terrenos poderão ser arrematados ainda na manhã pela repercussão da notícia publicada na edição desta terça feira no Jornal Folha do Oeste, em que relata trata-se dos terrenos onde funcionava a própria Madeireira Climaco, localizado na Rodovia Transamazônica, próximo ao aeroporto municipal, pela localização, área e imóveis que integram os terrenos indisponíveis, alguns empresários de outros estados já encontram-se em Itaituba com o interesse de participar da praça de Leião. Blog do AMARAL
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação !

Aquivo deste blog