Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de julho de 2011


    A reunião foi uma preparação para uma audiência pública que será realizada em 60 dias em Itaituba.

         Foi realizada na manhã de hoje no plenário da Câmara Municipal de Itaituba uma reunião de preparação para uma audiência pública que será realizada em Itaituba com a empresa CBEMI em uma data a ser definida em um prazo de 60 dias. A reunião, que foi presidida pela vereadora Eva Maria Gomes do PMN, abordou os aspectos que envolvem a construção das duas PCH’s (Pequenas Centrais Hidrelétricas) nos rios da Bacia Amazônica e contou com a presença do senhor Frederico, consultor de energia da empresa CBEMI, do geólogo Felipe, a advogada da empresa Drª Betina e demais autoridades do município de Itaituba.
         Inicialmente, o vereador Luís Fernando Sadeck fez referência aos participantes da reunião. O Dr. Frederico falou sobre os empreendimentos que serão implantados nos rios Codó e Ébrio e abordou sua importância para a região.
         Em seguida, o geólogo Felipe falou sobre a localização dos empreendimentos, onde uma delas será situada na região do Itapacurá. Com relação aos impactos ambientais, o geólogo mostrou algumas áreas de abrangência no município de Itaituba e Trairão.
         Após as explicações dadas pelos técnicos, foi aberto espaço para o público direcionar perguntas e/ou observações aos representantes da CBEMI que, por sua vez, dirimiram dúvidas através de respostas baseadas nos estudos realizados para a construção das PCH’s.
         Perguntado sobre o custo do projeto, Frederico disse que os dois empreendimentos tem o valor que gira a em torno de 160 milhões de reais, que serão oriundos de recursos próprios, do BNDES, entre outras fontes de recursos. A pergunta foi feita por Ivo Lubrina de Castro, secretário municipal de Mineração e Meio Ambiente do município de Itaituba.
         Ao final da reunião, o senhor João, proprietário de uma área na região, se mostrou insatisfeito acerca do processo de negociação de sua “terra” com a empresa. Um dos técnicos da empresa CBEMI disse que os processos estão em andamento e que o contrato não foi feito pelo fato de haver incompatibilidade entre o valor cobrado pelo senhor João e o preço definido por uma avaliação.

Redação blog Itaituba Hoje
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação !

Aquivo deste blog