Pesquisar este blog

domingo, 12 de fevereiro de 2012


NILSON, DOMINGOS, JOSÉ E MIGUEL, PRESOS DURANTE A OPERAÇÃO POLICIAL

Nilson, Domingos, José e Miguel, presos durante a operação policial


Uma operação policial conseguiu prender na quarta-feira, na Vila de Curuai, região do Lago Grande, quatro dos sete envolvidos no linchamento de João Augusto, crime ocorrido no dia 22 de janeiro deste ano. 

Debaixo de uma forte chuva, os quatro acusados do linchamento na Vila de Curuai, no Lago Grande, chegaram a Santarém (PA), às 08:50 horas da manhã de ontem, dia 09. O transporte utilizado foi uma embarcação da Superintendência de Polícia Civil do Baixo Amazonas. O local do desembarque foi o Terminal Fluvial Turístico, na orla da cidade, que foi cercada por um forte aparato policial e por curiosos.


A equipe formada por homens da Polícia Civil, Grupo Tático Operacional e Serviço de Inteligência da Polícia, no comando do delegado Luís Paixão, seguiu para a Vila de Curuai na quarta-feira, dia 08, para fazer cumprir os 7 mandados de Prisão Temporária, pelo período de 30 dias. Os documentos judiciais foram expedidos pelo juiz Gerson Marra Gomes. Apenas quatro acusados foram presos: Domingos Regis de Sousa, vulgo Dominguinho; Miguel Regis de Sousa, vulgo Tica; José Rego de Sousa; vulgo Zé Bucho e o quarto de pré-nome Nilson.


O delegado Luís Paixão disse que a ação foi feita na tranqüilidade. Uma vez que antecipadamente já havia sido realizado um levantamento na área. “Quando chegamos na comunidade para realizar a operação, prendemos quatro. Eles mesmos se entregaram, sem confronto com a Polícia, tudo na santa paz. E os outros três acusados se evadiram da Vila. Os procedimentos vão continuar, mesmo porque tem muito mais gente envolvida nesse crime. Os quatro devem seguir direto para Penitenciária”, disse Paixão.


Um mototaxista legalizado que estava na hora da chegada dos acusados, no terminal fluvial turístico, disse que a população santarena necessitava de uma reposta das instituições de segurança. “Fazer justiça desse jeito deixa em xeque a ordem pública e ficamos aterrorizados pela barbaridade desse crime. Se ele assassinou outra pessoa deveria pagar nas leis dos homens. E não linchando até a morte”.


Nessa reposta à sociedade, como fala o mototaxista legalizado, a ação foi rápida da Polícia Civil. Devemos destacar o brilhante trabalho realizado pelo superintende de Polícia Civil do Baixo Amazonas, delegado Gilberto Aguiar; pelo diretor da Seccional Civil, delegado Nelson Nascimento e pelo delegado Luís Paixão, que não mediram esforços para solucionar o caso e dar uma resposta à população e aos órgãos de direitos humanos, que cobravam uma ação rápida para punir os culpados. Também a parceria do  3º Batalhão de  Polícia Militar, sob o comando do Coronel Anthenor Oliveira, foi crucial para que se chegasse aos culpados. Todos estiveram e continuam empenhados coordenando as equipes de policiamento em solucionar o caso.


Sobre o linchamento seguido de morte: A ação foi feita por alguns comunitários com ânsia de fazer justiça com as próprias mãos. João Augusto foi apontado como autor do esfaqueamento de Rosivan Silva de Sousa, de 26 anos. Esse teria morrido no sábado, dia 21 de janeiro, na comunidade de Cruzador, Lago Grande. 


Por: Alciane Ayres

Fonte: http://www.oimpacto.com.br/
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação !

Aquivo deste blog