Pesquisar este blog

domingo, 5 de maio de 2013


O secretário José Colares ouviu calado, uma enxurrada de críticas contra o governo do Estado, o qual ele representava na ocasião da audiência publica. Vinha bombardeio de todos os lados.

O presidente da Câmara de Itaituba, vereador Wescley Tomaz foi anunciado como o próximo orador a usar o microfone. Ele começou citando que o pai da prefeita Eliene Nunes foi garimpeiro. Em seguida disse que Itaituba pedia socorro ao governo do Estado.

Quando Wescley perguntou ao titular da SEMA, se ele vestiria a camisa da campanha pela legalização do garimpo, que muita gente estava usando no local, José Colares levantou-se rapidamente, tomando o microfone da mão do vereador.

Wescley ainda tentou pegar o microfone de volta, mas, o secretário estava visivelmente irritado e não soltou o equipamento por nada, indo até o fim, dizendo tudo que estava entalado em sua garganta.

"Eu não vim aqui para fazer proselitismo político. Eu já vim seis vezes a esta região desde que assumi. Estou aqui para conversar. Zé Geraldo, Puty e Raulien, se vocês aplaudirem o que está acontecendo, - referindo-se ao modo como continua sendo feita a garimpagem - vocês estarão apoiando quem comete esse crime" afirmou o secretário.

Ele continuou, dizendo que o Decreto 704/2013 não proíbe a garimpagem, e que não era governador, nem deputado algum quem estava dizendo, mas, ele. Disse que não vai liberar uma só draga no Rio Tapajós, se a cooperativa que representa os donos delas não cumprir todas as exigências.


Uma notícia que todos os presentes esperavam de ouvir foi dada pelo secretário José Colares: Trata-se da implantação de uma representação da SEMA em Itaituba, em condições de fazer o trabalho que se espera do órgão. Ele foi bastante aplaudido depois desse anúncio.


"O decreto não vai ser revogado, porque ele não proíbe a garimpagem.


Eu não sou maluco de mandar parar essa atividade vital para a economia desta região. Podem continuar nos baixões, nos grotões. Vamos fazer juntos a legalização da garimpagem.


Muitos aqui aproveitaram a oportunidade para, agora, se identificarem com os garimpeiros. Não adiante ficar com discursos demagógicos. Depois, os deputados voltarão para Belém e para Brasília e se esquecerão disso. Nós, que vamos ficar aqui é que temos discutir a maneira de regularizar a garimpagem", finalizou o secretário de meio Ambiente, José Colares.


Depois do discurso inflamado do titular da SEMA, foi anunciada a fala da prefeita Eliene Nunes, mas, pode-se dizer que a audiência pública já tinha praticamente acabado, depois que os garimpeiros ouviram parte do que queriam ouvir.


Uma parte importante do discurso da prefeita foi quando ela se dirigiu ao secretário, pedindo que o município e o Estado discutam essa questão da garimpagem para que se encontre uma solução para esse impasse, antes que venha alguém de fora, referindo-se ao governo federal, e feche todos os garimpos de uma vez por todas, com a força da lei.

Jota Parente
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação !

Aquivo deste blog